Estará o amor em crise?

Que o país está em crise já todos nós sabemos, porque sentimos isso dia após dia. Será que o amor também se encontra em crise? Não falo do conceito de amor, mas sim do amor tal como o conhecemos e tal como dizemos sentir. Estará o amor em crise? Todos teimamos em dizer que o sentimos e que vivemos o amor, mas o que acontece cada vez mais é uma banalização do mesmo. Um sentimento que deveria ser único na sua forma de sentir, torna-se banal e hoje em dia todas as pessoas se amam e utilizam a palavra amor. Hoje o Sentimento Calmo reflete sobre o amor e se este estará ou não em crise, refletindo nos seguintes pontos:

amor em crise

O  “amo-te” tornou-se banal – A palavra “amo-te” parece ter perdido a sua magia. Todas as pessoas ou a grande maioria utiliza esta palavra no seu dia a dia. Dizem que amam e amo-te a toda a hora para a maioria das pessoas e esquecem a dimensão desta palavra. Hoje o amo-te tornou-se um “adoro-te”, sendo quase usado da mesma forma e como tendo o mesmo significado. Há casais que até  preferem usar o adoro-te porque pura e simplesmente sentem que o amo-te está demasiado gasto! Acho de facto impressionante como se pode usar tal palavra que deveria ser especial, como uma total banalidade, o que causa que o amor se desgaste.

O romantismo parece morto –  Não sei o que se passa com as pessoas! Segundo um estudo feito tendo em conta algumas hábitos de consumo os portugueses foram considerados os mais românticos. Mas parece que isso apenas se verifica no papel, ao transpor isso para a realidade tudo muda de figura e este estudo torna-se uma completa anedota. O romantismo que deveria fazer parte de cada um de nós em cada uma das nossas relações parece ter desaparecido. Nunca devem perder o vosso romantismo, nem ter medo de o mostrar! Confiram a nossa categoria de ideias românticas e surpreendam hoje mesmo a pessoa que amam!

As pessoas já não se esforçam –  O amor perdeu a sua magia, as pessoas pura e simplesmente parecem não querer se esforçar mais. O amor é visto como garantido e a luta diária para manter a chama acessa já é algo que nem todos fazem. O amor parece cada vez mais morto. Os casais já não fazem as suas loucuras, características de um casal apaixonado. Já não agem pelo coração, de forma impulsiva e sem pensar. Agora pensam demais, agem de menos e usam demasiado a razão.

Intimidade > Amor –  Em muitas situações o que se passa “debaixo dos lençóis” é mais procurado do que o amor que a outra pessoa tem para dar. Muitas relações hoje em dia baseiam-se no sexo e não no amor. Li uma vez que “a partir do momento que o sexo se tornou fácil de se arranjar, o amor se tornou difícil de obter“, e é totalmente verdade. O que se passa na intimidade é importante, mas deve servir para complementar uma relação construída a partir do amor e não que se resuma somente a um prazer efémero.
Felizmente isto não se verifica em todas as relações e em alguns casos ainda existem pessoas que conseguem ser exatamente o contrário do que descrevi aqui. O que procurei fazer com este artigo foi levar todos vocês a refletir se estará o amor em crise. No fundo o importante é que cada um de vocês reflita sobre o que foi dito aqui e que pense para si próprio se está ou não a contribuir para que o amor esteja em crise. Evite que o seu amor caia nesta situação e lute para conseguir construir uma relação sólida.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

avatar
wpDiscuz