O primeiro amor do seu filho – Perguntas e respostas

O amor na adolescência pode tornar-se num momento complicado e confuso na vida do seu filho. A maioria dos adolescentes tende a esconder os problemas dos pais e não dialogar sobre os mesmos. Gostaria que o seu filho tivesse confiança para falar consigo? Neste artigo do Sentimento Calmo pretendemos precisamente responder a essas perguntas e dar algumas dicas para fortalecer a relação com o seu filho, como ganhar confiança para falar acerca de todos os assuntos e como ajudar o seu filho perante uma situação de primeiro desgosto amoroso.

primeiro amor do seu filho

A adolescência é provavelmente das fases mais complicadas e confusas na vida humana e é imprescindível apoio e orientação em determinadas situações. O amor é uma delas e os pais devem ser sem dúvida o grande apoio para os filhos nestes casos. A ideia de que os pais devem estar longe do conceito de amigos e devem ser rudes e autoritários é completamente falsa, pelo contrário, o pai deve ser um amigo e um apoio incondicional para o filho com uma união forte desde a infância não só de modo a fortalecer a relação mas também de modo a superar problemas parentais.

Passamos então a responder a algumas questões que pensamos ser as mais importantes para a relação de confiança entre pais e filhos:

Devo falar com o meu filho sobre amor? – Esta resposta é bem simples: Claro que deve falar com o seu filho sobre o amor e de certo modo prepará-lo para eventuais desgostos e desilusões amorosas. Explique o bom do amor e os objetivos do amor em cada idade. Não menospreze os sentimentos do seu filho apesar de ser um adolescente. O primeiro amor é muitas vezes marcante e deve ser uma boa recordação. Ajude o seu filho e dê-lhe confiança para desabafar e conversar consigo. É a melhor maneira de unir laços familiares e estar a par da vida do seu filho. Por vezes a relação pais-filhos na adolescência não é a mais fácil, deve educar o seu filho de modo a confiar em si desde criança, desde as simples paixonetas de infância. Torne-se um melhor amigo do seu filho e faça com que este confie em si.

Como explicar o que é o amor? – Quando o seu filho entra na adolescência deve haver um cuidado no que toca a diálogos relacionados com o amor e a sexualidade. É imprescindível que converse com o seu filho sobre estes dois temas e acima de tudo, que o faça conhecer o mundo em que vivemos e todos os seus problemas. Ao contrário do que se costuma pensar é possível aprendermos antes de viver determinadas situações, especialmente quando elas são de risco. Faça com que o seu filho conheça todas as situações de risco e previna futuros erros da vida de quem mais ama. Explique o amor e a sexualidade com naturalidade e puro realismo, num diálogo descontraído que deve ser trabalhado desde a infância, só assim haverá predisposição para este tipo de conversas entre pais e filhos.

Como faço para que ele confie em mim? – A confiança com o seu filho tem de ser trabalhada desde cedo. Mostre-se acessível e receptiva a todos os assuntos do seu filho, seja uma boa amiga para ele e mostre que pode sempre confiar em si não só como uma pessoa autoritária e que impõe regras mas também como uma amiga de total confiança e disposição. Mostre-se disponível para o seu filho e incentive o diálogo desde a infância de modo a dar continuidade na adolescência.

Após o amor e a felicidade, são quase sempre inevitáveis os desgostos e as tristezas amorosas. O fim da primeira relação amorosa pode causar graves problemas para o adolescente, problemas que não devem ser desvalorizados devido à idade, pelo contrário, devem ser motivo de cuidado especial numa altura difícil na vida de qualquer pessoa. Saiba então como agir quando percebe que o seu filho sofreu o seu primeiro desgosto amoroso e como ajuda-lo a superar o fim da relação:

Explique que o amor renova-se e melhora – Tente explicar ao seu filho, ainda que de maneira ténue que o fim do primeiro amor não significa o fim do amor no seu todo, como há uma grande tendência a ser pensado. Preste atenção a todo o discurso que vai proferir, em momentos sensíveis todo o cuidado é pouco. Mostre-se atenta, paciente e compreenda que o fim de uma relação não é fácil, muito menos um primeiro amor. Falar sobre o amor em situações destas pode ser doloroso mas também confortante, quando feito da maneira correta. Explique que o fim de uma relação não é o fim de todo o amor, por exemplo, conte histórias da sua vida. Pode ser uma boa conversa para fortalecer a relação.

Mostre-lhe outros motivos de felicidade – É essencial o conhecimento de outros factores de felicidade para além do amor. O amor é apenas uma parte da vida e quando se dá o fim de uma relação não deve ser de todo motivo para isolamento total. Quando o seu filho termina uma relação não é excepção. Converse com ele e explique-lhe tantos outros motivos de felicidade na vida e como ultrapassar o fim do namoro. Neste ponto a ajuda dos amigos também é essencial, pois podem ser uma mais-valia para relações de amizade que compensam sem dúvida a falta de um amor.

Seja uma melhor amiga incondicional para ele – Mostre-se amiga e compreensiva para o seu filho nesta altura mais difícil da sua vida. Sugira uma conversa sobre o sucedido contudo dê também espaço para a resolução de conflitos internos que só a própria pessoa consegue resolver e que é quase sempre uma das fases de um desgosto de amor. Aproveite a boa relação com o seu filho, ajude-o na longa estrada da vida e indique-lhe qual o caminho correto a seguir.

A relação entre pais e filhos pode ser um bem maravilhoso e uma ajuda muito importante para o seu filho que atravessa a fase da adolescência. A criação de uma relação saudável entre pais e filhos é muito importante para o crescimento e desenvolvimento do seu filho. Seja um grande amigo para o seu filho e conduza-o para o caminho da felicidade.

Deixe um comentário

Seja o primeiro a comentar!

avatar
wpDiscuz