Quando o amor se torna obsessão

É muito comum se ouvir falar de relações sangrentas, de relações de ciúme, de finais trágicos em relacionamentos que à partida pareciam perfeitos, o que nem todos sabem é que este tipo de desfecho parte de uma relação que tem como aliada a obsessão. Como sabem quando uma pessoa está obcecada com algo, não o esquece, não o deixa, não o tira debaixo de vista, torna-se um vício e tudo o que se intrometa no caminho será eliminado por essa pessoa, é uma dependência que muitas vezes se torna num problema gravíssimo e num perigo para o próprio casal. Nunca se sabe quando se tem um namorado abusivo! Nunca passei ou presenciei uma relação que eu considera-se obsessiva mas mesmo assim pretendo deixar-vos aqui umas dicas.

Quando o amor se torna obsessão

Não deixe que o seu amor se torne numa obsessão:

Conhecer os limites – Amor é bom e não devem ter medo de amar, devem sim conhecer os vossos limites!  Já escrevemos aqui sobre o melhor do amor, mas é importante que saiba que amar demais pode não ser saudável, porque o que pensa ser amor pode ser obsessão! Todos nós temos de conhecer os nossos limites, o ponto máximo em que dizemos para nós próprio que temos de parar. Quando não conseguimos conhecer e parar neste limite muitas vezes entramos na obsessão e com ela acabamos por acarretar com uma dose de consequências e ações que se desenrolam quase instantaneamente e sem aviso.

Saber as intenções do parceiro(a) -Vive com a obsessão de ficar com uma pessoa para sempre? De casar? De ter filhos? Pois bem, primeiro deverá falar abertamente com o seu parceiro(a) e descobrir quais as intenções dele(a), até onde quer ir, para saber se realmente “estão na mesma página” e desejam os dois o mesmo. Do que adianta viver sempre com a vontade de algo que nunca irá acontecer? É uma obsessão e das difíceis de curar. Se souber as intenções e vontades do seu parceiro evitará mais facilmente estas situações, por isso falem abertamente e descubram o que ambos desejam, por vezes o problema nada mais é do que uma falta de compreensão.

Controlar os ciúmes -Muitas vezes as piores situações surgem quando uma pessoa não consegue controlar os seus ciúmes, que muitas vezes existem por se ter falta de confiança no amor e não se saber ao certo como a ganhar. Todos temos ciúmes, mas em caso de obsessão estes ciúmes aumentam para um nível incontrolável, em que modifica por completo uma pessoa e a sua forma de pensar. É importante saber controlar estes ciúmes e isso passa também pela confiança que existe e se constrói no casal. É importante que o casal fale sobre tudo, conte tudo o que achar oportuno e dia após dia mostre que realmente não há razões de ciúmes, assim crescerá a confiança e será bem mais fácil este controlo dos ciúmes. Nunca se esqueça que por vezes o desprezo é a melhor arma.

Falar abertamente com o parceiro(a) – A comunicação é essencial numa relação é ela que como referi, faz diminuir os ciúmes, aumenta a confiança e sobretudo aproxima as duas pessoas que formam o casal. O casal tem de ser como irmãos, desabafar, falar, chorar, rir, devem partilhar tudo o que achem benéfico para o casal, para a relação e para o estreitamento da relação. Devem conhecer-se o máximo possível, para trabalharem cada vez melhor em conjunto.

Não agir de cabeça quente – O problema maior das relações de obsessão é quando se age de “cabeça quente”. Muitas vezes não se têm noção daquilo que se faz ou diz. Já se viu bastantes vezes na tv, casos de ciúmes que acabam com mortos e muito mais, isso é obsessão! Não podem usar a violência, muito menos a palavra violenta. Tudo se resolve, pode é não ter o final que desejam, mas nunca, e eu repito nunca, ajam de cabeça quente! Aprenda a discutir como um profissional e a controlar as discussões de forma a que não afetem a sua relação.

Evitar o controlo excessivo – Estar junto da pessoa que amamos é bom, estar colado é obsessivo. Todas as pessoas precisam de espaço, até mesmo os casais, o facto de estar sempre em cima da pessoa que ama, não irá trazer muitas vantagens, até pelo contrário, porque ao abusar do controlo a pessoa vai gostar mais dos momentos em que você não está, ao invés dos momentos em que estão juntos por isso atenção!

No fundo tenham cuidado e avaliem bem a vossa relação, porque é fácil entrar numa relação obsessiva, difícil é sair! Por vezes é necessário colocar um stop e conseguir ultrapassar a má disposição e o controlo excessivo. Sem confiança não poderá existir amor verdadeiro.

Deixe um comentário

5 Comentários em "Quando o amor se torna obsessão"

avatar
Sort by:   newest | oldest | most voted
Proxy362
Visitante
Eu já passei por um amor obsessivo… Pode ser “bom” se os dois colaborasse 100%, mas meu ex era muito machista , então isso já descartava uns 30% das qualidades, se ele não tivesse amigos , não saísse, não me chingasse e não me tratasse como uma mulher do século XVIII , q só servia para fzr filhos e limpar a casa , nosso relacionamento seria o mais feliz , por que eu era obsessiva e ele tmb era, mas os problemas era essa agressividade em q só ele podia tudo e eu não podia nada… E quem tem um… Read more »
denise
Visitante

muito bom mesmo >reallll

Joaquim Antunes
Visitante

Todo verdade obrigado deveria ter lido antes agora ja é tarde doi bastante

Ariane Manuel
Visitante

Adorei o vosso site nota 10…

Ariane Manuel
Visitante

Adorei o vosso site nota 10…

wpDiscuz