Diferenças entre o amor no cinema e na realidade

Muitas vezes se critica as cenas dos filmes românticos pelo seu irrealismo, bem como muitas vezes se idealiza uma relação como vemos naquele filme romântico que encanta multidões e enche salas de cinema em todo o mundo. O que temos de perceber é que existem muitas diferenças que distinguem esse mundo demasiado fantasiado do nosso mundo real. Sim porque ainda existe muita boa gente a confundir as duas realidades. O que acontece com os filmes românticos é que levam muitas pessoas a idealizar um príncipe encantado que depois na realidade é mais difícil de encontrar que nos filmes. Mas vamos então ver algumas diferenças entre as duas realidades.

amor no cinema e na realidade

Diferenças entre o amor no cinema e o amor na realidade

Analisando 40 sucessos do gênero (como “Enquanto Você Dormia”, com o casalzinho Sandra Bullock e Bill Pullman, e “Mensagem para Você”, com Meg Ryan e Tom Hanks), encontram-se alguns dos elementos mais perigosos das histórias: os conceitos de que casais se apaixonam instantaneamente; que, no final, o destino sempre une as pessoas que se amam; e que há apenas um par perfeito para cada um. Além disso, nos filmes as traições e mancadas são superadas com muito mais facilidade do que na vida real. in Super Abril

Coincidências – As coincidências nos filmes estão sempre a acontecer. Seja aquela pessoa que encontra vezes sem conta no mesmo local a horas diferentes, seja aquele bilhete que encontra no meio da rua onde tantas pessoas também o poderiam encontrar. Tudo são coincidências que raramente ocorrem na vida real ou não com tanta frequência como ocorrem nos filmes.

Final feliz – Nos filmes românticos o final é sempre mais ou menos feliz, caso contrário seria um drama. Por isso podemos ver o filme e as coisas a correr mal a torto e a direito que sabemos que no final tudo irá ser resolvido e que as personagens principais irão ficar juntas. O esquema pelo qual estes filmes são construídos é quase igual a todos, introduzindo apenas algumas mudanças de filme para filme. Na vida real como sabemos as coisas não ocorrem da mesma maneira, o que existe cada vez menos nesta vida são finais felizes. Finais felizes é nos filmes e é bom que seja para nos manter ainda a sonhar.

Ajudas divinas – Parece sempre que tudo ajuda para correr bem a história. As coincidências, as pessoas que rodeiam toda a história do filme, etc. As pessoas parece que estão destinadas umas ás outras sem terem de trabalhar muito para isso. As coisas parecem demasiado facilitadas e passa a ideia de que não requerem trabalho. Como sabem para ter uma boa relação e para conhecer pessoas não basta estalar os dedos, por vezes é bastante complicado e trabalhoso.  

Amor à primeira vista – Outros dos clichés dos filmes de amor é o amor à primeira vista. Nos filmes tudo parece bonito, o rapaz vê uma rapariga e fica desde logo encantado com ela e acabam por começar uma relação mais tarde e novamente ter um final feliz. Na realidade as coisas acontecem de forma diferente. Para já não acredito em amor à primeira vista. Acredito em atração, porque o que vemos à primeira vista é a aparência física e existe alguém que se apaixona por isso, sem ligar ao que está no interior das pessoas? Não me parece… Pode-se ter um exterior muito bonito, mas se o interior não estiver de acordo a relação torna-se bastante complicada.

Cenas de intimidade – As cenas de intimidade também são muito engraçadas porque no final corre sempre tudo bem e parece bastante fácil ter uma relação. Na vida real surgem sempre alguns problemas, seja o preservativo, ou a dor da primeira penetração, sei lá tantas coisas, que nos filmes pura e simplesmente não acontecem. Sejam os atores no filme experientes ou sem experiência nenhuma as coisas correm sempre bem. Na vida real as coisas são um pouco diferentes…

A vida não tem música de fundo – Uma vida com música é bem melhor do que uma vida sem som, mas infelizmente na vida não temos aquela música de fundo a acompanhar cada passo nosso, ou os momentos de maior relance na nossa vida. Só se andarem sempre com um ipod atrás de vocês e mesmo assim podem ficar sem bateria.

O impossível parece tão possível – Costuma-se dizer que nada impossível, mas nos filmes essa ideia é levada ao extremo. As coisas têm sempre de correr bem e acabar bem, por isso por mais mal que esteja a situação acaba sempre por se resolver de uma forma ou de outra, nem que seja preciso acontecer o impossível e aquilo que ninguém estava à espera. Coisas que na vida real raramente acontecem. 

Os filmes servem para nos mostrar outro mundo, um mundo de fantasia que serve para nos entreter e para nos por a sonhar com um mundo melhor do que aquele em que vivemos. Nisso cumprem a sua missão, mas tenham cuidado ao passar para a realidade aquilo que vêm nos filmes.

2
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
1 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Eusébio CustódioNatália Recent comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

newest oldest most voted
Natália
Visitante
Natália

Gostei do seu pensamento, sou estudante de jornalismo, mas não me conformo. Se os filmes unem tantas pessoas e são feitos para nos fazer sonhar, qual o proposito de as pessoas não buscarem isso? Toda pessoa, em qualquer lugar, está de alguma forma buscando o amor. Um exemplo disso são as músicas, de qualquer gênero que vão do traído ao apaixonado. Então, desculpa, eu não vejo graça na vida real. Posso ser infantil e sou, mas prefiro sonhar do que viver em um mundo que apenas as coisas “possíveis” como corrupção e muuuita traição acontecem. O amor não existe na… Read more »